Acessibilidade | Contraste | ? Dúvidas Frequentes | Mapa do Site

Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Colunistas > Martinho Moreira Franco > A voz rouca

Notícias

A voz rouca

Publicado na edição de 17.03.2016


Martinho Moreira Franco

Eu não sou assim um Bozó, aquele personagem de Chico Anysio que dizia trabalhar na Globo, mas tenho uma queda antiga pela rede do plim-plim. Já fui até mais ligado na programação da emissora, que, por sinal (sem trocadilho), vem perdendo em qualidade nos últimos anos. Em qualidade e audiência, não há como negar. O que não significa a perda da liderança nacional, como uma ou outra rede concorrente insiste em propagar, indiferente à voz rouca dos números (pensaram que era das ruas, han?). Já falei sobre isso aqui mesmo neste espaço. E olhem que nem me referi ao caso da Globo por assinatura, fenômeno que tem impressionado o mercado com relação ao seu faturamento.

Vocês sabem quanto os canais Globosat faturaram no ano passado? Mais de 6 bilhões de reais. Sabem a quanto isso equivale? A seis vezes o que o SBT fatura anualmente ou a três vezes mais que a Rede Record. Ou ainda cerca de doze vezes o faturamento da Rede Bandeirantes. Os dados são de Ricardo Feltrin, colunista do UOL. Segundo ele, “os mais de 30 canais da Globo presentes na TV fechada devem render pelo menos R$ 3 bilhões só em publicidade ao Grupo Globo em 2016. Outros R$ 3 bilhões virão do valor que as operadoras repassam anualmente à Globo como remuneração para cada canal Globosat incluso em pacotes de assinantes”. O próprio colunista parece nem acreditar nos números que obteve com exclusividade:

- O que mais surpreende no valor é que o que o Grupo Globo vem faturando com a TV paga já é praticamente o mesmo que a TV Globo (canal aberto) obtém anualmente. Além disso, em termos de conteúdo, os canais Globosat já produzem mais programas que a própria Globo. Muitos programas e artistas Globosat têm participado cada vez com mais frequência de programas da Globo aberta, num sinal de que, cada vez mais, essa fusão deve se aprofundar.

Detalhe: esse valor de R$ 6 bilhões não inclui faturamento com pay per view, Globo Internacional ou tampouco produtos exibidos na TV paga que também são comercializados em DVD – acrescenta Feltrin. E prossegue:

- Para obter esse “monopólio” na TV por assinatura do Brasil, a Globo contou com o beneplácito e mesmo o apoio explícito das maiores operadoras, Net e Sky.

É graças a esse apoio que a Globosat coloca vários novos canais todos os anos, absorvidos rapidamente no line-up das operadoras. A Globo não tem a menor dificuldade em lançar canais como Viva, Sportv 3 e 4, canal Bis, Off, +Globosat etc Até a mesmo a localização dos canais Globosat no line-up costuma ser favorecida. Por exemplo, na Net, os canais mais importantes do grupo sempre estão próximos: canal 39 (SporTV), canal 40 (Globonews), 41 (GNT), 42 (Multishow)... e assim por diante.

A análise do UOL é longa e tecnicamente bem detalhada, mas acredito que já deu para perceber a distância que (ainda ) separa a Globo das demais redes de TV do país. Por mais que se tente encurtá-la em campanhas publicitárias algo duvidosas. Alguém duvida?

BR 101 - KM 03 - Distrito Industrial - João Pessoa-PB - CEP: 58.082-010
CNPJ 01.518.579/0001-41