Contraste

Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cultura > Com roteiro de Walter Galvão, Patmos lança biografia de Fidel em formato HQ

Notícias

Com roteiro de Walter Galvão, Patmos lança biografia de Fidel em formato HQ

Divulgação Trecho de capa da obra que será lançada também em espanhol

Trecho de capa da obra que será lançada também em espanhol


Guilherme Cabral

A produção de HQ por paraibanos vem passando por um período de efervescência, deflagrado, principalmente, a partir da Coleção Primeira Leitura, que divulga e valoriza o trabalho desses artistas do traço e que foi iniciada pela Patmos em novembro de 2014, quando ocorreu a publicação do primeiro volume com a biografia do poeta do Eu, intitulado Augusto dos Anjos em Quadrinhos, com roteiro assinado pelo escritor e professor Jairo Cézar Soares e ilustrações de Luyse Costa. A propósito, o próximo número - o 12º - vai contar a trajetória do historiador Horácio de Almeida e o lançamento está previsto para amanhã. Agora, diante da receptividade, a editora se mantém na mesma linha e, nesse sentido, estreou, no último dia 13, uma nova coleção, denominada Top5, inaugurada com o lançamento, naquela data - e dentro da programação do Agosto das Letras, evento realizado pela Funesc (Fundação Espaço Cultural da Paraíba) - do livro Fidel Castro - O Herói da Sierra Maestra, roteirizado pelo jornalista Walter Galvão e com ilustrações de Lelo Alves. Essa obra já despertou o interesse de uma livraria em Portugal, onde deverá ser lançada. Mas o editor da Patmos, Carlos Roberto de Oliveira, antecipou para o jornal A União estar debruçado num projeto de maior fôlego, que é o de lançá-la em Cuba, ilha localizada na América Central, em novembro, ou então, caso não seja possível, em países da América Latina, a exemplo da Argentina.

O jornalista e escritor Walter Galvão confessou para A União ter sido “uma honra” participar como roteirista do livro. “O trabalho resultou em cenários altamente criativos e de qualidade. Foram três meses de trabalho, iniciado no dia 27 de abril, com a primeira reunião, e se estendendo até julho. Mas o principal, para mim, é o trabalho do ilustrador Lelo Alves, que deu qualidade à obra, por sua extrema sensibilidade. Algumas cenas são reproduções de filmes famosos, vinculados à Guerra Fria, com sistema de referência como documento histórico e de contribuição estética para esse campo dos quadrinhos”, disse ele, referindo-se à obra, lançada como edição comemorativa na própria data em que o comandante da Revolução Cubana - movimento popular que derrubou, em janeiro de 1959, o governo do então presidente Fulgêncio Batista e implantou o sistema socialista, liderado por Fidel Castro - completou 90 anos de idade. Nesse sentido, para obter seu intento, ele disse ter realizado uma intensa pesquisa enfocando aspectos como a vida da população, a arquitetura, carros e rádios no contexto social da capital do País, Havana, além de discursos de Fidel, adaptados para tal objetivo, mas, principalmente, a modernidade em Cuba, um País pioneiro, na América Central, em algumas áreas, a exemplo das transmissões de rádio e TV.

“A intenção do projeto foi referenciar, nessa biografia, uma síntese na trajetória revolucionária de uma geração cubana e da América Ibérica. Além disso, propor a trajetória de Fidel como síntese de condicionalidades da vida em sociedade. Entre essas condicionalidades a forma de exercer poder político e social; de estabelecer condições para autonomia dos grupos sociais e das pessoas, além de explicitar a luta vitoriosa contra a corrupção no Exército, na Polícia, na Justiça, por todo o canto. O outro aspecto é exaltar a tradição de alta qualidade dos realizadores de quadrinhos paraibanos, a exemplo de Emir Ribeiro, Thaïs Gualberto, Mike Deodato Jr., Shiko, Luyse Costa e o Leo Alves “, acrescentou Walter Galvão.

A propósito, o ilustrador Lelo Alves - paraibano natural de Olho D’água, município localizado no Sertão do Estado e que atua como profissional há cinco anos - confessou que foi “bom” trabalhar no projeto do livro com a biografia quadrinizada de Fidel Castro. “Walter Galvão é uma pessoa tranquila, que acatou as sugestões. Nós atuamos na mesma sintonia e na mesma linha de raciocínio”, disse ele, que produziu as ilustrações durante cinco semanas e considerou a empreitada como “uma nova experiência”. O artista ainda elogiou a iniciativa da Patmos, justificando ser uma das poucas editoras da Paraíba a divulgar e valorizar os paraibanos que atuam na área dos desenhos direcionados para as histórias em quadrinhos. “Uma iniciativa inovadora, que mescla um trabalho de qualidade com a cultura pop, que é a HQ”, comentou ele.

Já o editor da Patmos informou que o livro sobre Fidel Castro integra o volume da área política da Coleção Top5, antecipando que produzirá a versão espanhola da obra para lançá-la em outros países, pois sua intenção é conquistar o mercado internacional. Os demais personagens são Hitler, Abraham Linclon, Che Guevara, Nelson Mandela, ou, então, Mahatma Gandhi, o que ainda está para ser definido. Carlos Roberto de Oliveira disse que há algumas diferenças entre esta nova coleção e a Primeira Leitura. “A Top5, que, depois, incluirá outras áreas, como esportes - e Pelé já é um nome escolhido - artes visuais e música - se diferencia da Primeira Leitura por ser mais sofisticada, pois os quadrinhos são em posição vertical e o papel é couchê”, observou ele, salientando que a obra sobre Fidel não possui nenhuma tendência política, pois a ideia do projeto é apresentar, aos leitores, a biografia do líder cubano.

BR 101 - KM 03 - Distrito Industrial - João Pessoa-PB - CEP: 58.082-010
CNPJ 01.518.579/0001-41