Contraste

Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cultura > Teatro Santa Roza é reaberto com espetáculo da Agitada Gang

Notícias

Teatro Santa Roza é reaberto com espetáculo da Agitada Gang

por publicado: 22/12/2016 00h05 última modificação: 22/12/2016 16h06
Exibir carrossel de imagens Walter Rafael/Secom-PB Inauguração terá espetáculo da Trupe de Palhaços e Atores da Paraíba, conhecida como Agitada Gang

Inauguração terá espetáculo da Trupe de Palhaços e Atores da Paraíba, conhecida como Agitada Gang


Lucas Silva - Especial para A União

"Gosto de pensar que ele é a jóia da coroa, a jóia do estado da Paraíba”, descreveu, em entrevista coletiva concedida na terça-feira (20), o governador Ricardo Coutinho, sobre a reabertura do Teatro Santa Roza, que acontece hoje, na capital. Com 127 anos, a reinauguração da obra arquitetônica será marcada pela encenação da peça teatral “Como Nasce um Cabra da Peste”. Com 19 anos de muitas crendices, superstições e presságios de um espetáculo que debuta na cena nacional, a peça está marcada para às 19h. No final da manhã, às 10h, Ricardo Coutinho faz uma visita ao equipamento, acompanhado de uma caravana de artistas. Ainda em entrevista, o governador ressaltou a importância do espaço no processo de transformação da sociedade. “Sei o peso e a necessidade da cultura em qualquer processo de transformação social”, finalizou. 

Sendo uma montagem da Trupe de Palhaços e Atores da Paraíba chamada Agitada Gang, o espetáculo está centrado nos preparativos e procedimentos populares para o nascimento de uma criança no sertão nordestino. O texto de Altimar Pimentel, baseado na obra etnográfica de Mário Souto Maior, faz um apanhado das crendices, superstições, costumes e medicinas mágicas empregadas em tais situações no interior do Brasil rural com muita alegria, bom humor e com a responsabilidade social desta trupe Agitada.

A atriz Madalena Accioly disse que fazer parte dos 17 anos do espetáculo é como falar de um casamento, com tudo que se pode ter em um. “Quem está casado sabe das dificuldades e desafios que surgem; da vida em família, alegrias, sonhos e sorrisos, como também sabe das lágrimas e superação. Portanto, nesses 17 anos foram muitas as virtudes, as amizades e contribuições”, completou.

Em resumo, o espetáculo, mesmo ao transportar para o palco essas situações numa abordagem cômica, o faz de maneira comovente, humana e respeitosa para com o homem do interior e sua cultura.

“Como nasce um cabra da peste tem sido algo desafiante que tenho que carregar na mochila como tudo que é necessário. Viajar pelo mundo contando essa história há mais de 15 anos, haja disciplina”, ressaltou o ator Dadá Vensceslau, que interpreta três personagens no espetáculo.

Em cena, o casal interpretado por Edílson Alves (Joaquim) e Madalena Aciolly (das Dores) é submetido a provas heróicas e absurdas, sob o domínio da parteira Gerusa (Dadá Venceslau). Dadá Venceslau no palco se transforma, ainda, em moleque e vizinha invejosa.

O natural talento de clown da turma da Agitada Gang, mesmo provocando muito riso, resulta em um espetáculo de forte dramaticidade e contundente denúncia do isolamento das populações interioranas, deserdadas socialmente e submissas a todos os tipos de carências, inclusive no que se refere à assistência médica.

Além disso, através da encenação do ritual do nascimento de mais uma criança no árido e hostil mundo da pobreza nordestina, pelas mãos de uma parteira – misto de santa e médica, temida e respeitada – autor e atores resgatam da tradição oral e do esquecimento o misticismo, a religiosidade sincrética, a luta pela sobrevivência e a doçura do homem do sertão.
Fazendo um balanço, o espetáculo já percorreu mais de 70% dos estados brasileiros e ainda dois países, Portugal e África, e com excelentes críticas e plateias. São mais de 42 prêmios conquistados em Festivais e Mostras Nacionais de Teatro.

Por onde o espetáculo passou arrancou frases célebres de jornais como ‘Artistas paraibanos mostram com humor nascimento de um cabra da peste” (jornal de Beltrão- Paraná), “Humor da melhor estirpe” (Jornal a Tribuna – Natal- RN), “ Coimbra recebe teatro brasileiro” ( Jornal de Coimbra- Portugal), “ Os cabras paraibanos” (Jornal do Brasil- Rio de Janeiro- RJ). "Sempre foi um resultado muito positivo, um público muito cativo e que recebeu muito bem o espetáculo por onde passou", comentou Edilson Alves, ator da Agitada Gang.

No elenco estão Edilson Alves, Dadá Venceslau e Madalena Accioly. Direção de Eliezer Filho, sonoplastia de Thiago Henriques, iluminação de Eloy Pessoa, contra-regra de Roberto Assunção, produção Executiva de Nelson Alexandre e Edilson Alves, produção de divulgação e realização da Agitada Gang -Trupe de Atores e Palhaços da Paraíba.

BR 101 - KM 03 - Distrito Industrial - João Pessoa-PB - CEP: 58.082-010
CNPJ 01.518.579/0001-41