Contraste

Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Paraíba > Dois ativistas do MST são assassinados em um acampamento na Paraíba

Notícias

Dois ativistas do MST são assassinados em um acampamento na Paraíba

por publicado: 10/12/2018 10h30 última modificação: 11/12/2018 13h31
O MST mantém centenas de ocupações em quase todo o território nacional, num movimento em prol da reforma agrária

O MST mantém centenas de ocupações em quase todo o território nacional, num movimento em prol da reforma agrária


Do El País Brasil

Dois ativistas do Movimento dos Sem Terra (MST) foram mortos a tiros em um acampamento que a organização montou em uma fazenda ocupada há cerca de dois anos na Paraíba. O incidente ocorreu nesse sábado (8) no Acampamento Dom José Maria Pires, localizado nos arredores da cidade de Alhandra, a quase 50 quilômetros da capital João Pessoa. Testemunhas relataram às autoridades policiais que vários homens mascarados fizeram os disparos.

A polícia indicou que, de acordo com as primeiras investigações, foram usadas espingardas calibres 12 e 26 e um revólver calibre 38. Os mortos foram identificados como Rodrigo Celestino e José Bernardo da Silva. A delegada Lídia Veloso, responsável pelo caso, disse que a primeira hipótese aponta para uma "execução" porque os assassinos, ao chegarem ao acampamento, se dirigiram diretamente às duas vítimas, pediram que outras pessoas se afastassem e atiraram.

Segundo as testemunhas, "eles disseram que só queriam eles, mandaram os outros saírem do meio e atiraram". As vítimas José Bernardo da Silva, conhecido como Orlando Bernardo, e Rodrigo Celestino. Orlando era irmão do coordenador do Movimento dos Atingidos por Barragens na Paraíba (MAB/PB), Osvaldo Bernardo, que já havia perdido outro irmão por execução em 2009. Foi a morte do primeiro irmão que levou Osvaldo a integrar o programa de proteção aos defensores dos direitos humanos.

"Agora, a dois dias da comemoração dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), mais um irmão de Osvaldo é assassinado, fato que preocupa diante do contexto sombrio de violência contra os movimentos sociais e demonstra quão distante ainda estamos da efetivação dos direitos garantidos pela Declaração", disse a Procuradoria Geral da República, em nota na qual presta solidariedade às vítimas e reitera esforços para identificar os responsáveis pelo crime deste sábado.

O MST é uma das organizações camponesas mais ativas do país e mantém centenas de ocupações em quase todo o território nacional, num movimento em prol da reforma agrária. 

Nota do governo

O Governo do Estado da Paraíba lamentou, em nota, o fato. Confira:

O Governo do Estado vem lamentar a execução de dois militantes do Movimento Sem-Terra na Paraíba, José Bernardino da Silva e Rodrigo Celestino, neste sábado (8), em Alhandra. E informar que o governador Ricardo Coutinho, que revelou profunda indignação contra o ato, determinou imediatamente à Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social que se tomasse todas as providências possíveis para alcançar o mais rápido desfecho das investigações e, consequentemente, responsabilização dos culpados.  

Ainda que não seja possível dizer no momento se tratar de motivação social, não há como permanecer indiferente a este gênero de violência que volta a crescer assustadoramente no Brasil.

O Brasil precisa repassar em sua consciência todos os fatos históricos que o fizeram chegar até aqui e reprovar tudo aquilo que inspire intolerância seja contra os movimentos sociais, ou, em qualquer esfera, contra a vida.

É neste sentido, inclusive, que nesta segunda-feira (10), o Governo do Estado estará entregando pela primeira vez a Medalha da Liberdade, recém instituída, para Luíza Erundina, Elizabeth Teixeira, um símbolo de luta dos movimentos rurais, e Marielle Franco (in memorian), bem como assinando atos contra a tortura e em favor da Escola Sem Censura, a fim de valorizar toda a existência em favor da igualdade, da liberdade de pensamento, da democracia e, especialmente, dos direitos humanos. 

Só assim concebemos uma sociedade que possa viver coletivamente em busca de respeito, da paz e do progresso.

João Azevêdo

O governador eleito, João Azevêdo, também divulgou nota:

Quero expressar minha completa indignação e, ao mesmo tempo, lamentar profundamente a execução de dois militantes do Movimento Sem-Terra na Paraíba, José Bernardino da Silva e Rodrigo Celestino, metralhados covardemente na noite deste sábado, em acampamento, no município de Alhandra.

Mesmo sem sabermos ainda a real motivação da atitude criminosa, é completamente inadmissível e inacreditável que, após tantos avanços no respeito às lutas sociais, estejamos ainda sujeitos a atos de barbárie como este. É contra este estado de intolerância que precisamos ficar alertas para não deixarmos que atentados como estes voltem a se tornar algo banal em nossa sociedade.

Confiamos plenamente no trabalho das polícias de nosso Estado no processo de investigação e identificação dos responsáveis pelo crime e, posteriormente, na consciência do dever de justiça que deve pautar as decisões dos julgadores.

E reforçamos nossa vigilância na defesa de uma sociedade cada vez mais democrática, que respeite as diferenças, as necessidades de cada um, que exercite a paz entre as relações humanas e, especialmente, valorize a vida.

Ao MST e à família dos militantes assassinados, toda minha consternação e solidariedade, bem como o compromisso de continuar sendo um incansável defensor dos direitos à liberdade, ao trabalho e à vida.

João Azevêdo
Governador Eleito da Paraíba

Av. Chesf - Distrito Industrial, 451. João Pessoa - PB. CEP 58082-010
CNPJ 09.366.790/0001-06