Contraste

Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Políticas > Primeiro-ministro proíbe relações sexuais entre ministros e subalternos

Notícias

Primeiro-ministro proíbe relações sexuais entre ministros e subalternos

por publicado: 18/02/2018 16h54 última modificação: 18/02/2018 16h54
Paolaharvey/Flickr Vice-primeiro-ministro australiano, Barnaby Joyce

Vice-primeiro-ministro australiano, Barnaby Joyce


Da Ciberia/ZAP

A decisão de proibir que ministros e os seus respetivos funcionários mantenham relações sexuais vem do primeiro-ministro australiano Malcolm Turnbull na última quinta-feira (15), e surge após o escândalo que envolve o vice-primeiro-ministro, Barbany Joyce. Segundo o Expresso, Turnbull criticou Joyce pelo seu “erro chocante de julgamento”, em uma coletiva de imprensa. O vice-primeiro-ministro ficará suspenso das funções a partir desta segunda-feira (19), enquanto é alvo de um inquérito para apurar se violou os estatutos ministeriais.

Tanto Turnbull quanto Joyce rejeitam que o vice tenha violado os estatutos. Ainda assim, e para evitar escândalos futuros, o chefe do governo australiano decidiu iniciar uma reforma do Código de Conduta pelo qual os ministros se regem, que, na sua opinião, é “verdadeiramente deficiente”. “Hoje, acrescentei às normas ministeriais uma disposição clara e inequívoca: os ministros, sejam casados ou solteiros, não podem manter relações sexuais com a equipe. Não cumprir a norma constitui uma violação às diretrizes”, disse o primeiro-ministro.

Isto significa que os ministros podem, porém, manter relações com funcionários de outros pelouros ou com pessoas que já trabalharam para o seu respectivo ministério, mas que, entretanto, abandonaram o cargo. O escândalo tem abalado a política australiana desde o início da última semana e foi o mote para a reforma do código de conduta dos ministros. Barbany Joyce teve um caso extraconjugal com sua assessora de imprensa, Vikki Campion.

Segundo o mesmo jornal, a oposição aprovou no Senado uma moção não-vinculativa que exige a demissão de Joyce. No entanto, a possibilidade já foi rejeitada pelo primeiro-ministro, que defende que o governante conservador não ocupava o cargo de vice-primeiro-ministro quando manteve a relação com Campion.

“Barnaby cometeu um erro chocante de julgamento ao ter um caso com uma mulher jovem que trabalhava no seu gabinete”, declarou Turnbull, acusando-o de ter causado “terrível sofrimento e humilhação” à sua mulher, Natalie Joyce, às quatro filhas e à antiga conselheira.

De acordo com o Diário de Notícias, a imprensa australiana divulgou que a ex-assessora está grávida e que o pai é o vice-primeiro-ministro, um assunto que causou polêmica em alguns setores da sociedade australiana. No ano passado, Joyce se separou da mulher com quem foi casado durante 24 anos e com quem tem quatro filhos.

Av. Chesf - Distrito Industrial, 451. João Pessoa - PB. CEP 58082-010
CNPJ 09.366.790/0001-06