Contraste

Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Colunistas > Gi com Tônica (por Gi Ismael) > #50 Saudade de quando apenas ‘Os Simpsons’ era profético

Notícias

#50 Saudade de quando apenas ‘Os Simpsons’ era profético

por publicado: 03/06/2020 10h36 última modificação: 03/11/2020 11h25
Mistura de ‘This is Us’ com ‘Black Mirror’, série ‘Years & Years’ apresenta supostas mudanças que aconteceriam nos próximos dez anos

Mistura de ‘This is Us’ com ‘Black Mirror’, série ‘Years & Years’ apresenta supostas mudanças que aconteceriam nos próximos dez anos


Será que a história da humanidade é realmente cíclica e podemos antever os acontecimentos políticos e sociais por vir? Com um tom realista e pé no chão, a série
Years & Years, produzida pela BBC em parceria com a HBO, apresenta um cenário caótico de mudanças que supostamente aconteceriam nos próximos dez anos.

A série foi criada e escrita por Russell T Davies, que trabalha como roteirista da BBC desde a década de 1980 e que tem no currículo o comando, por exemplo, de dezenas de episódios da série de ficção científica Doctor Who.

Years & Years é curta, contando com apenas seis episódios -- todos frenéticos, vale ressaltar. Ela acompanha o contexto social e político do Reino Unido durante toda a década de 2020, mas é difícil não trazer o enredo para perto do nosso cenário quando diversas questões levantadas pela série são sinais que aparecem por aqui também. São trazidos à tona debates como o “Brexit” (a saída do Reino Unido da União Europeia) e as políticas contra imigrantes de forma assustadora e com um tom, infelizmente, profético. Um detalhe importante é que a série foi lançada em 14 de maio de 2019 e teve episódios inéditos transmitidos até 18 de junho de 2019. A aprovação do texto final do Brexit ocorreu apenas em 9 de janeiro de 2020.

Eu li num artigo que a série é como se fosse a mistura de This is Us com Black Mirror e é por aí mesmo. Acompanhamos o enredo através da perspectiva e das consequências sentidas na pele da família Lyons, que vivencia de diferentes maneiras as mudanças político-sociais e ambientais (tem até uma nova pandemia, acredita?) que ocorrem na década na qual o programa é situado. Para quem assistiu a série Black Mirror da Netflix, a comparação é inevitável já que a relação, muitas vezes para além da vida virtual, do ser humano com a tecnologia é abordada a cada episódio de Years & Years.

Seis episódios longos seriam um sofrimento de assistir caso as atuações fossem medíocres e, ainda bem, não é assim que acontece na série. As interpretações são todas bastante convincentes, mas um destaque é a presença da atriz Emma Thompson (Razão e Sensibilidade; Os Meyerowitz) ao longo dos episódios. Ela atua brilhantemente na série como Vivian Rook, uma política, figura polêmica e com ideias vazias e nacionalistas que, antes tida como piada, aos poucos foi ganhando mais tempo de TV e, por consequência, mais votos. Parece familiar? Ela é uma das figuras centrais dos debates da série.

Infelizmente, Years & Years foi lançada como uma minissérie e é bem difícil que haja uma segunda temporada, apesar da boa receptividade de público e crítica. Você pode conferir tudo no HBOGo. 

**

Um adendo que pouco tem a ver com o texto acima, mas que tem muito a ver com este espaço: você acabou de ler o meu texto de número 50 aqui no Jornal A União. Parece-me uma data tão “central” e “redondinha” que senti que não poderia deixar passar batido. 

Acredito que nunca escrevi por tanto tempo seguido, da minha forma e com minhas colocações, sobre assuntos que falam tanto sobre o que amo e tanto sobre mim. Refletir sobre a arte, opinar sobre entretenimento e compartilhar aventuras que vivi, aventuras recheadas de cultura -- no aspecto mais amplo da palavra. Vejo em nosso portal do Jornal A União todos os meus textos e sinto orgulho e gratidão. 

Obrigada por me acompanhar!

*publicado originalmente na edição impressa de 27 de maio de 2020.
registrado em: , ,

Av. Chesf - Distrito Industrial, 451. João Pessoa - PB. CEP 58082-010
CNPJ 09.366.790/0001-06